Por que Ler Biografias para as Crianças?

Por que Ler Biografias para as Crianças?

4 minutos Em seu desenvolvimento social, moral e espiritual, a criança precisa de modelos que a inspirem. E, para povoar a imaginação com exemplos de vida admiráveis, a leitura de biografias poderá prestar uma inestimável contribuição. A formação literária e moral da criança – especialmente quando esta atinge a idade da razão, por volta dos sete anos – tem muito a ganhar com o conhecimento da história de homens e mulheres que, por sua abnegação e força de vontade, deixaram um legado valioso para Continue lendo

Aprendendo a Desenhar com Fósforos e Palitos

Aprendendo a Desenhar com Fósforos e Palitos

3 minutos Uma caixa de fósforos ou um pacote de palitos às vezes proporciona mais divertimento às crianças do que um brinquedo complicado que lhes compramos por muito dinheiro. A vantagem que levam os palitos ou os fósforos consiste na variabilidade e no estímulo que dão à imaginação produtiva. Com esses objetos singelos e baratos, a criança cria figuras e cenas, animais, flores e estrelas, aproveitando seus conhecimentos. Causar-lhes-á grande prazer agrupar os pauzinhos em forma cada vez nova e interessante. É muito mais Continue lendo

18 Atividades com Blocos para Seu Pequeno Aprender Brincando

18 Atividades com Blocos para Seu Pequeno Aprender Brincando

5 minutos As crianças – especialmente até os 6 anos – são capazes de aprender praticamente qualquer coisa com prazer quando deixamos que manipulem enquanto lhes ensinamos.  É por essa razão que brinquedos como LEGO®, Megablocks® e toda sorte de blocos plásticos de encaixe e blocos de madeira são instrumentos incríveis de aprendizado. A criança que não demonstra interesse algum em identificar os números, a que tem uma noção espacial muito fraca, aquela que reluta para contar, aquela que tem uma preguiça enorme dos Continue lendo

Literatura para Crianças: O Valor dos Bons Livros

Literatura para Crianças: O Valor dos Bons Livros

11 minutos Entusiasta das letras, Orton Lowe escreveu, no início do século XX, um roteiro para a introdução da criança no reino da boa literatura de imaginação. Lowe dirige-se aos professores, mas todos os seus conselhos podem ser adaptados para o ambiente doméstico, onde a responsabilidade por cultivar o gosto literário das crianças recai gravemente sobre os pais. O resultado, Lowe garante, é uma vida mais rica de maravilhamentos e de sentido, na companhia do que já se escreveu de melhor para crianças – Continue lendo

Como Cozinhar com as Crianças Sem Perder a Cabeça

Como Cozinhar com as Crianças Sem Perder a Cabeça

7 minutos Integrar a criança na rotina doméstica, atribuindo-lhe certos deveres com equilíbrio e amor, é fundamental para que ela conquiste a autonomia. A partir dos seis anos, a criança pode até começar a se aventurar na cozinha, sob a supervisão de um adulto, adquirindo assim uma importante habilidade: a de preparar seu próprio alimento. Confira, neste artigo, o relato de uma mãe homeschooler sobre sua experiência com os filhos na cozinha. Se você acompanha o blog há algum tempo, deve saber que já Continue lendo

Valores, Virtudes e a Ética do País das Fadas

Valores, Virtudes e a Ética do País das Fadas

25 minutos Contos de fadas e histórias de fantasia transportam o leitor para mundos novos de encantamento, surpresas e perigos. Essas histórias desafiam o leitor a compreender esses outros mundos, a orientar-se neles, a imaginar-se no lugar dos heróis e heroínas que os povoam. A segurança e a garantia dessas aventuras imaginativas residem no fato de que os riscos podem ser assumidos sem que se tenha de suportar todas as conseqüências de um fracasso; a alegria está em descobrir como essas perigosas aventuras podem Continue lendo

Vrummm. Cocoricó. Cri-cri-cri. Que som é esse? Exercite o ouvido e a atenção de seu filho com o jogo das onomatopéias

Vrummm. Cocoricó. Cri-cri-cri. Que som é esse? Exercite o ouvido e a atenção de seu filho com o jogo das onomatopéias

5 minutos Onomatopéias são figuras de linguagem que buscam traduzir em palavras sons ou ruídos, tais como o canto dos pássaros, o toque da campainha ou o tilintar de sinos. Que tal usar as onomatopéias em um jogo simples e divertido que pode ser realizado em qualquer lugar? Melhor ainda se for ao ar livre em uma caminhada pelo bairro ou em um passeio pelo parque. Este jogo trabalhará a atenção do seu filho, assim como a capacidade de ouvir e reproduzir os sons Continue lendo

Maria Montessori, Santo Tomás de Aquino e a criança

Maria Montessori, Santo Tomás de Aquino e a criança

15 minutos Por muito tempo, os psicólogos experimentais olharam de modo enviesado a psicologia racional e rejeitaram-na como muito teórica, mas agora descobriram que muito do que vem sendo desenterrado nos laboratórios e clínicas é inexplicável ou incompleto sem referência a princípios comuns. Muito do que Freud, Adler e Jung dizem não tem fundamento sólido. Muitos psicólogos vêem com novos olhos a psicologia que tem sido desenvolvida com bastante cuidado ao longo dos últimos 2500 anos. Entre eles está a psiquiatra freudiana holandesa, A. Continue lendo

A BNCC, a Educação e a Escola

A BNCC, a Educação e a Escola

11 minutos Mais uma sigla na sopa de letras com as quais temos que lidar cotidianamente: BNCC. O que significa? A resposta é: Base Nacional Comum Curricular. Trata-se de um documento de quase 400 páginas, cujo texto foi elaborado sob os auspícios do Ministério da Educação, com a participação direta de centenas de especialistas das Universidades e das estruturas das Secretarias Estaduais e Municipais de todo o país. A BNCC foi elaborada por determinação legal, e essa elaboração envolveu órgãos educacionais dos estados e Continue lendo

10 Maneiras de Destruir a Imaginação do Seu Filho

10 Maneiras de Destruir a Imaginação do Seu Filho

13 minutos Se você quer saber como NÃO educar seus filhos, esta é a receita perfeita. O professor americano  de literatura Anthony Esolen apresenta aqui um resumo dos estragos provocados pelas pedagogias funestas das últimas décadas. Alguns anos atrás, um vândalo seqüestrou uns bons quarenta ou cinquenta mil livros da biblioteca da universidade onde leciono. Ele não queria lê-los, sequer vendê-los. Queria apenas livrar-se deles, alegando que, de qualquer forma, ninguém os leria mesmo. Alguns dos volumes condenados à destruição eram insubstituíveis. Sei disso Continue lendo