10 Brincadeiras Simples para Desacelerar as Crianças – e Treinar o Equilíbrio

Tempo de leitura: 6 minutos

© 2015 Foto de Gill Connell usada com permissão

Por que criança adora fazer tudo rápido?

Parece que num piscar de olhos a criança passa dos primeiros passos a aprender a correr. Às vezes, temos a impressão de que elas aprendem a correr antes mesmo de aprender a andar. É maravilhoso vê-las experimentando essa liberdade de movimentos.

Correr é bom e divertido, e essa é a principal razão por que “rápido” é o modo normal de funcionamento das crianças. Porém, essa não é a única razão.

A verdade é que, para os pequenos, “rápido” é mais fácil que “devagar”. É que, quando nosso corpo se move rápido, a física do impulso para frente encarrega-se do trabalho que deveria ser executado por nosso senso de equilíbrio. Quando nos movemos devagar, dependemos mais do equilíbrio para nos mantermos firmes, estáveis e de pé. O desafio para os pequenos está justamente aí.

A criança não nasce com o senso de equilíbrio formado. O equilíbrio é desenvolvido nos primeiros anos, por meio do processo normal de movimentação. Assim, quando a criança começa a andar ereta, o cérebro e o corpo trabalham em dobro, procurando manter o equilíbrio ao mesmo tempo em que coordenam movimentos complexos. Naturalmente, esse processo demanda alguma prática – na verdade, anos de prática – até aperfeiçoar o ato extremamente sofisticado de caminhar a passos lentos e controlados.

© 2015 Foto de Gill Connell usada com permissão

Por que é importante ir devagar?

É perfeitamente normal e benéfico para as crianças movimentar-se com rapidez. Mas é importante, de vez em quando, tentar desacelerá-las. Ir rápido demais não permite ao cérebro tempo para pensar. Por outro lado, movimentar-se lentamente exige mais do cérebro, dando-lhe o tempo necessário para receber, analisar e guardar as informações sensoriais. Isso ajuda a construir o senso de equilíbrio do cérebro, ao mesmo tempo em que os movimentos tornam-se mais refinados. Quando isso acontece, a criança está no caminho certo para um controle mais deliberado de seu corpo, conseguindo até mesmo ir mais devagar.

Então, seu filho consegue desacelerar? Aqui vão 10 sugestões que testei em casa e fizeram as crianças diminuirem o ritmo.

Um-dó-lá-si e… Devagar!

1. DESAFIE SEU FILHO A ANDAR DEVAGAR.Os pequenos querem naturalmente agradar aos pais e mostrar tudo de que são capazes. Por isso, quando seu filho disparar a toda velocidade, desafie-o dizendo: “Puxa, você vai rápido mesmo! Mas será que consegue ir bem devagarinho, como uma tartaruga?”

 

© 2015 Foto de Gill Connell usada com permissão

2. MUDE O MOVIMENTO.Sempre que você modifica um movimento usual, a criança tende automaticamente a desacelerar. Por exemplo, na transição entre a hora do lance e a hora da história, você pode pedir a seu filho que ande de costas até o sofá (ou onde quer que vocês costumem ler histórias). Aqui vão outras sugestões: andar de lado, andar sobre uma linha no chão, andar com uma almofada sobre a cabeça etc.

3. TARTARUGA, TIGRE, ÁRVORE!Para desenvolver em seu filho o senso de autocontrole, experimente alternar as velocidades. Por exemplo, quando você disser “tartaruga”, ele deve andar muito, muito devagar. Quando disser “tigre”, ele deve andar bem rápido. E, quando você disser “árvore”, ele deve esticar seus “ramos” (braços) e ficar parado como uma árvore. No começo, emita os comandos em um ritmo previsível. Assim que seu filho pegar o jeito, mude para um ritmo mais aleatório. Não se esqueça de mudar a seqüência — assim eles terão de ouvir com atenção.

4. TREINANDO DESTREZA.Selecione atividades que exijam destreza e movimentos precisos. Por exemplo, engatinhar por um túnel sem tocar nas paredes, ou levar uma bolinha de pingue-pongue em uma colher de um lado ao outro do quintal ou da sala. (Aproveite as atividades de normalização sugeridas no blog para praticar.)

5. PASSOS DE GIGANTE.Quanto mais largas as passadas, mais lento o movimento. Peça a seu filho para andar pela sala ou pelo jardim usando passos de gigante. Depois que ele tiver andado um bocado, indique-lhe um trajeto e peça que ele conte quantos passos são necessários para percorrê-lo. Na volta, veja se ele consegue fazer o trajeto com ainda menos passos.

6. DOIS EM DOIS.Emparelhe duas crianças de costas uma para a outra, unidas pelas mãos. Desafie-as a cruzar a sala ou o jardim andando dessa maneira. Nem será necessário pedir: elas automaticamente se movimentarão mais devagar, como se combinassem os movimentos uma com a outra.

© 2015 Foto de Gill Connell usada com permissão

7. O ZOOLÓGICO SONOLENTO. Neste zoológico estão as criaturas mais lentas já vistas! Peça a seu filho para se mover como uma tartaruga sonolenta, um caracol, um caranguejo, uma preguiça, um elefante ou um rinoceronte… sonolentos. Pode até ser que ele invente um animal fantástico, o importante é que seja sonolento.

8. FALANDO DEVAGAR.Qualquer atividade realizada lentamente ajudará seu filho a regular seus movimentos. Falar devagar é uma maneira divertida de desenvolver a discriminação auditiva, combinando a pronúncia em voz alta de palavras e a prática do “modo lento”. Modele a fala lenta de seu filho e incentive-o a repetir as palavras e frases que você diz. Bata um papo com ele desta maneira. Vocês darão boas risadas. (Se seu filho fala rápido demais e embola as palavras, confira aqui algumas dicas de como corrigi-lo.)

9. FALANDO E ANDANDO DEVAGAR.Uma vez que seu filho tiver praticado falar devagar, acrescente o desafio de um movimento para aumentar a diversão. Por exemplo, faça uma viagem de volta ao Zoológico Sonolento. Enquanto a criança se movimenta imitando seu animal sonolento preferido, ela poderá ir descrevendo seus movimentos falando devagar. “Eeeeestooooou annnndaaaannnndo coooomo uuuumaaaa taaaaartaaaruuugaaaa.”

 

© 2015 Foto de Gill Connell usada com permissão

10. MODO LENTO… ATIVAR! Em casa, ou ao ar livre, brinque de algo que seu filho goste, mas no “modo lento”. Um ótimo jogo para isso é “O mestre mandou”, mas a criança já precisa conhecer a brincadeira para que dê certo. No “modo lento”, a brincadeira ficará diferente, mais desafiadora e engraçada para as crianças.

Artigo de Gill Connell e Cheryl Mccarthy traduzido do inglês com permissão de Moving Smart


Deixe suas dúvidas e opiniões aqui embaixo! Obrigado por compartilhar nosso conteúdo!

Receba em seu email nosso ebook “As 5 Etapas para Alfabetizar seus Filhos em Casa”, um guia completo e totalmente gratuito para introduzir seus filhos no universo da Alfabetização. Clique aqui: https://goo.gl/FDS4xU.

10 Comentários


  1. Como professora tenho certeza que estas atividades ajudarão muito, principalmente depois da aula de educação física, ou depois do intervalo, que são os momentos que os alunos mais se agitam.

    Responder

  2. Olá! No item 6 a sugestão é que estejam de costas uma para a outra como no texto, ou uma ao lado da outra, como na imagem? Obrigada. Desculpe, mas quis aproveitar ao máximo as suas boas dicas. : O )

    Responder

  3. adorei as dicas; apesar do meu filho menor agir e correr de modo habitual, essas dicas servirão para o mais velho.

    Responder

  4. Gostaria de receber sempre as sugestões de atividades e ou orientações possíveis para brincadeiras com educação fundamental I.
    Desde já agradeço a atenção .
    Andréia Quadrado

    Responder

  5. Puxa, obrigada pelas dicas. Vou testar com meu filho de 5 anos,. Ele nao consegue fazer nada andando: tem sempre que estar correndo! Parece que ta sempre plugado rs

    Responder

    1. Obrigada pelas dicas repassadas e pelas sugestões de atividades .
      Com estas dicas , professoras com as quais trabalho ,poderão tornar as aulas de movimento muito mais significativas para as crianças .

      Responder

    2. Gostaria de receber sempre as sugestões de atividades e ou orientações possíveis sobre a educação infantil.
      Desde já agradeço a atenção .
      Valéria

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *