8 Atividades para Evitar a Troca de Letras

Tempo de leitura: 5 minutos

Quando vamos ao supermercado sabemos distinguir as diferenças entre tomates e maçãs só de olhar. Do mesmo modo, somos capazes de identificar nosso carro no estacionamento ao lado de outros veículos. No dia-a-dia, realizamos facilmente essas atividades graças à habilidade de discriminação visual, que é a capacidade de identificar com precisão as diferenças e semelhanças entre objetos ou formas semelhantes.

Essa habilidade começa a se desenvolver desde muito cedo e desempenha um papel fundamental no aprendizado de crianças de todas as idades. Os bebês utilizam-na para reconhecer rostos de familiares e objetos que os cercam. A discriminação visual também é fundamental na matemática e na alfabetização.

Uma criança com essa habilidade pouco desenvolvida não percebe diferenças sutis entre letras como “q” e “p”, “u” e “n”, “d” e “b”; ou números, como  “3” e “8”, “2” e “5”, “6” e “9”. Ela pode responder de cabeça quanto é “2 + 1” e, no entanto, não conseguir resolver a mesma operação no papel.

Essa situação pode gerar dúvidas, confusão, hesitação e frustração toda vez que a criança estiver diante de palavras e números escritos e não conseguir distinguir suas diferenças.

Mas, então, como ajudar seu filho de 2 a 6 anos a aprimorar as habilidades de discriminação visual e evitar a confusão entre letras e números semelhantes? Assim como, quanto mais praticamos um esporte, melhor nos saímos nele, essa habilidade também deve ser exercitada dia a dia.

Dicas para treinar a discriminação visual

Listamos abaixo uma série de atividades simples e divertidas para você praticar com seu filho e ajudá-lo a desenvolver essa habilidade.

Em contato com a natureza. Peça para a criança observar diferenças e semelhanças entre flores no parque ou no jardim de casa, trabalhando questões como cor, forma e textura.

No armário. Vá até o armário e diga à criança para pegar uma determinada peça de roupa (“Pegue a camisa azul de manga curta” ou “Pegue a calça preta”).

Comparando brinquedos. Os brinquedos das crianças são ótimas ferramentas para trabalhar a discriminação visual. Comece a atividade propondo a comparação entre apenas dois objetos. Vá aumentando a quantidade de itens para que a atividade fique mais desafiadora. Permita que a criança pegue nos objetos e sinta sua textura e peso: essas pistas físicas podem auxiliá-la.

Coloque dois carrinhos lado a lado e pergunte: “Qual é a cor deste? E deste?” “Qual deles é o maior? O azul ou o amarelo?” A brincadeira também pode ser realizada com crianças menores. Nesse caso, os pais devem explicitar as diferenças e semelhanças, dizendo: “Filho, veja como o carro amarelo é maior do que o azul!”

Se a criança fizer as distinções com muita facilidade, retire as “muletas táteis” e trabalhe a discriminação visual apenas com imagens: coloque diante dela dois cartões com ilustrações de objetos similares.

Caixa de areia. Se você já apresentou as letras e os números à criança, eis mais uma alternativa. Peça a ela para escrever aqueles que mais facilmente podem causar confusão, usando uma caixa de areia e o dedo indicador. Escreva a letra F e a letra T. Em seguida, diga: “Você viu como a letra T maiúscula tem um traço grande horizontal em cima, enquanto a letra F tem dois traços?” “Olhe só o ‘b’ minúsculo! Ele está com a barriga virada para a frente, enquanto o ‘d’ está com a barriga virada para trás.” Recursos sensoriais como a caixa de areia contribuem para que a criança identifique melhor as diferenças e semelhanças.

Formas geométricas. Recorte quadrados, retângulos e círculos – se tiver em casa, utilize formas geométricas de plástico ou madeira. Em um primeiro momento, coloque três quadrados iguais ao lado de um círculo. Pergunte à criança: “Quais formas são iguais? E qual é diferente?” Feito isso, peça para seu filho dizer a diferença entre as formas: por exemplo, o quadrado tem quatro lados, o triângulo tem três e o círculo não tem lados; o quadrado tem quatro pontas, o círculo não tem.

Jogo dos 7 erros. Quem nunca gastou um bom tempo tentando encontrar as diferenças entre duas imagens aparentemente similares, mas que, de forma proposital, guardam diferenças sutis entre si? Brincando de jogo dos 7 erros, a criança também desenvolve a discriminação visual.

Vai às compras? Descreva a cor, a forma e a textura (se possível) de um determinado produto e peça para a criança encontrar e colocar no carrinho.

Jogo de tabuleiro Lince. Neste vídeo, indicamos o jogo de tabuleiro Lince, que estimula a percepção visual da criança por meio de semelhanças e diferenças. Nele, um participante tira um cartão e coloca-o sobre a mesa; os demais jogadores precisam localizar no tabuleiro rapidamente a imagem correspondente ao cartão. A indicação é para crianças de 5 anos, mas algumas de 3 ou 4 já conseguem jogá-lo.

Quer mais dicas para aprimorar a discriminação visual de seu filho? Assista ao vídeo “Como prevenir a confusão entre letras”


Deixe suas dúvidas e opiniões aqui embaixo! Obrigado por compartilhar nosso conteúdo!

Receba em seu email nosso ebook “As 5 Etapas para Alfabetizar seus Filhos em Casa”, um guia completo e totalmente gratuito para introduzir seus filhos no universo da Alfabetização. Clique aqui: https://goo.gl/FDS4xU.

3 Comentários


  1. Parabéns pelo trabalho! São orientações excelentes para trabalhar com crianças e ajudá-las a vencer as dificuldades. Muito obrigada!

    Responder

  2. Foi muito boa contribuição das “táticas” pedagógicas utilizadas neste artigo, pois para a criança é super divertido aprender brincando e interagindo.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *