Luiz Faria

O professor Luiz Carlos Faria da Silva, mestre em Educação pela PUC-SP e doutor em Educação pela UNICAMP e Membro ad hoc do Grupo de Estudos sobre Aprendizagem Infantil da Academia Brasileira de Ciências. Casado com a pedagoga Dayane Dalquana da Silva. Tem dois filhos, atualmente com 18 e 17 anos. Nenhum dos dois freqüentou escolas de Educação Infantil. O preparo das crianças para a escolarização regular foi realizado exclusivamente pelos pais, em casa. Aos 7 anos, as crianças foram matriculadas em escola da rede privada de ensino. Aos 8/9 anos, depois de transferidas para uma escola da rede pública municipal de ensino, e após a frustração dos pais com a educação escolar oferecida nos dois sistemas, o casal retirou as crianças da escola e voltou a praticar a educação domiciliar não escolarizada. No Brasil o casal foi um dos pioneiros na obtenção de sucesso ante os obstáculos que o establishment jurídico e o establishment pedagógico costumam opor a esse tipo, raro, mas crescente, de iniciativa parental em nosso país.

A BNCC, a Educação e a Escola

A BNCC, a Educação e a Escola

11 minutos Mais uma sigla na sopa de letras com as quais temos que lidar cotidianamente: BNCC. O que significa? A resposta é: Base Nacional Comum Curricular. Trata-se de um documento de quase 400 páginas, cujo texto foi elaborado sob os auspícios do Ministério da Educação, com a participação direta de centenas de especialistas das Universidades e das estruturas das Secretarias Estaduais e Municipais de todo o país. A BNCC foi elaborada por determinação legal, e essa elaboração envolveu órgãos educacionais dos estados e Continue lendo

Memória ou Pensamento Crítico: de que seu filho realmente precisa?

Memória ou Pensamento Crítico: de que seu filho realmente precisa?

12 minutos Tanto faz se enunciado por professor brasileiro, titular de uma das universidades mais renomadas do mundo, ou pelo anônimo pai de uma criança de classe média, matriculada em escola, também brasileira, igualmente de excelente reputação. O juízo, impactante, influencia a opinião pública e ajuda a formar um senso comum: deixar para trás o ensino baseado na memorização, típico dos séculos passados, e substituí-lo por ensino que vise à construção do raciocínio crítico e à formação de competência para a resolução de problemas Continue lendo

Transtorno do Espectro Autista: o que é, quais suas causas e como identificá-lo

Transtorno do Espectro Autista: o que é, quais suas causas e como identificá-lo

11 minutos Volta e meia a imprensa fala desse tema. Há sete anos, uma revista semanal difundiu uma notícia: cientistas teriam descoberto uma maneira de diagnosticar, sem delongas, o autismo. Três características do novo modelo diagnóstico ficaram em evidência: rápido, barato, tecnológico. Nada de anamneses[1]: diagnóstico em 10 minutos. Nada de equipes multidisciplinares: um radiologista. Nada de recursos tradicionais: um aparelho de ressonância magnética. Municiados com conhecimentos altamente especializados em Biologia, alguns pesquisadores, do campo das Ciências Médicas, muitas vezes trabalhando em conjunto com Continue lendo

Dislexia: Esclarecendo Conceitos e Qualificando para Ensinar a Ler

Dislexia: Esclarecendo Conceitos e Qualificando para Ensinar a Ler

30 minutos 1 – Seres humanos são dotados, naturalmente, de várias capacidades gerais. Entre elas capacidades cognitivas como as que estão envolvidas no controle das funções executivas [1], capacidades linguísticas e capacidades motoras. Capacidades gerais possuem raízes biológicas. O desenvolvimento dessas capacidades é espontâneo. Dispensa esforço conscientemente controlado. Basta ver o que ocorre com a marcha, que assiste à locomoção. Ou com a fala, que serve à comunicação. Muito diferente é o caso das habilidades específicas. Por exemplo, a habilidade de identificar e reconhecer Continue lendo

Educação e Escola – Conhecer mais para Decidir Melhor

Educação e Escola – Conhecer mais para Decidir Melhor

11 minutos Considerados os grandes números da Educação Básica brasileira atual podemos ver que o panorama hoje é incomparavelmente melhor do que o foi na primeira metade do século XX. O número médio de anos de escolaridade da população cresceu. As taxas de escolarização aumentaram. Entre 0 e 3 anos ela já chegou a 25%. Mais de 80% é o número para quem tem idade de 4 e 5 anos. Dos 6 aos 14, ela bateu no teto: 98%. E entre 15 e 17 Continue lendo

Respondendo a Objeções: O que Raios é o Construtivismo?

Respondendo a Objeções: O que Raios é o Construtivismo?

14 minutos Após a publicação do artigo O que Raios é o Construtivismo? recebemos vários comentários com questionamentos a respeito do tema. Neste artigo o professor Luiz Carlos Faria da Silva pretende respondê-los. O construtivismo na Arte, na Matemática e na Metaética O debate é um tipo de conversação. Sua realização requer o emprego não somente de uma língua comum, como também de um repertório de palavras cujos sentidos sejam, além de compartilhados pelos debatedores, estáveis no processo da argumentação. Por isso, reafirmo: Somente Continue lendo

O que Raios é o Construtivismo?

O que Raios é o Construtivismo?

9 minutos Uma dúvida muito freqüente entre os pais que pretendem matricular seus filhos em uma escola é quanto aos métodos ou às abordagens educacionais por elas adotados. No Brasil, sobretudo a partir dos anos 1980, a teoria de aprendizagem que serviu de fundamento para a educação pública e, posteriormente, também para a privada foi o construtivismo, concebido por pedagogos como Lev Vygotsky e Paulo Freire. Mas, afinal, o que é o construtivismo? A palavra construtivismo só pode ser usada com um sentido preciso Continue lendo

Existem Estilos de Aprendizagem?

Existem Estilos de Aprendizagem?

9 minutos No texto de hoje falarei sobre estilos de aprendizagem, mas antes permitam-me fazer uma breve introdução. Desde muito cedo na história humana vemos que o semelhante vem do semelhante. Em pouco tempo, sobre seus filhos, pais e mães constatam: ainda que criados no mesmo ambiente, cada filho tem sua personalidade. Isso pode envolver, entre muitas outras coisas, diferenças no temperamento, no perfil cognitivo, nas preferências de paladar, nos padrões de interação oral, nos ritmos de sono e vigília etc. Em condições normais, Continue lendo

Neurociência e Educação: Mitos

Neurociência e Educação: Mitos

7 minutos A palavra “mito” pode significar, na linguagem não técnica, feitos extraordinários realizados por alguém, e, ainda, uma idéia equivocada sobre algo. Nos meios de comunicação, têm livre curso afirmações sobre cérebro e aprendizagem, que se enquadram nesta acepção. Prudência é a palavra de ordem para evitar que a vertigem da velocidade com que os conhecimentos se multiplicam e são difundidos nos arraste ao abismo de um conhecimento desprovido de sabedoria. Ao findar-se o século passado, em 1990, o congresso dos EUA solicitou Continue lendo