Como Implementar uma Rotina Doméstica

Tempo de leitura: 12 minutos

Uma das perguntas que eu mais tenho ouvido nos últimos 3 anos é “Como você consegue?” Imagino que me façam essa pergunta tantas vezes porque tenho 3 crianças pequenas que ainda não estão na escola (um menino de 5 anos e duas garotinhas sapecas de 2 e 3 anos) e não tenho muitos parentes por perto para me auxiliar nas tarefas domésticas ou com as crianças. Como se não bastasse cuidar da casa, da roupa, das refeições e dos meninos – e alfabetizá-los em casa -, ainda fui arranjar um cachorro e um peixe!

Obviamente é preciso tirar forças de algum lugar. Sou cristã e creio de todo o coração que Deus tem me ajudado com sua graça, dando-me forças e sabedoria. Mas, assim que tive meu primeiro filho e vi o que me aguardava se fosse realmente levar adiante o propósito de ter mais filhos, busquei métodos simples que me auxiliassem a fazer as coisas e dar conta de tudo – ou quase tudo.

Não dê um passo maior que a perna

Cada pessoa e cada família têm suas especificidades, eu sei disso. E certamente não há uma solução universal, um plano perfeito que seja a salvação para todas as mães. Mas a falta de tempo parece ser uma constante nas famílias do mundo moderno e, como não somos capazes de aumentar o número de horas do dia, deparamo-nos com a necessidade de criar uma rotina.

Mas como conseguir tempo para planejar e implementar uma rotina? Tenha consciência de que gastando – ou melhor, investindo – um pouco de tempo agora com o planejamento e a implementação de uma rotina, mais tarde você ganhará bastante tempo.

Vá com calma. Muita gente consciente da necessidade de ter uma rotina vive adiando o momento de implantar uma por medo de fracassar. Por isso, faça mudanças pouco a pouco. Arranje um tempinho e comece. Se necessário, peça para alguém ajudar com as crianças enquanto você se adapta.

Não tem idéia de como começar? Confira as dicas de quem já passou por isso.

Seja prático

Muitas vezes é preciso sacrificar um pouco da beleza e do conforto e ficar com a praticidade: eu prefiro coisas mais fáceis de organizar, de limpar ou manter limpas, roupas mais fáceis de passar, refeições que não exigem horas de preparo etc.

Também descobri que ter um cardápio simples, com alimentos saudáveis – mas fáceis de preparar – , economiza tempo e dinheiro. Não precisa ser nada muito elaborado ou demorado. Apenas anote em um papel as refeições que sua família faz e, ao acordar (ou antes de dormir), separe o que puder e deixe descongelando o que for necessário. Assim você não perde tempo pensando no que cozinhar para cada refeição. Vale também deixar pronto e congelado tudo o que for possível!

Dessa maneira você terá um tempinho para praticar com seus filhos as atividades sugeridas no blog e fazer um ou dois momentos de leitura em voz alta por dia.

Faça testes

Não se desespere ou desanime se as coisas não funcionarem muito bem nos primeiros dias. Todos precisarão se adaptar (inclusive você), ajustes poderão ser necessários e imprevistos poderão acontecer. Caso a rotina idealizada não funcione, vá fazendo testes e buscando algo que se adeque à realidade de vocês. Eu fiz vários testes até chegar a uma rotina eficaz. E conforme as crianças vão crescendo, a rotina também precisará de ajustes.

Pesquise métodos que podem ajudar

Converse com pessoas, busque conselhos e pesquise na internet sobre métodos que podem lhe ajudar a se organizar, a organizar seu lar, seu trabalho, sua rotina e a administrar o tempo. Já pesquisei alguns e tenho aplicado em minha casa os seguintes métodos e técnicas.

1.  Fly Lady. Em resumo, é um método para organização e criação de rotinas para limpeza e cuidado da casa, cujo objetivo é conseguir tempo para você e sua família (a sigla FLY significa: Finally Loving Yourself, “Finalmente Amando a Si Mesma”). Esse método tem me ajudado a vencer o perfeccionismo. Sempre amei ter a casa limpa e organizada, mas, quando tive meus 3 filhos, precisei ser realista e aceitar que ela não ficaria como antes. É bem difícil manter a casa impecável e ainda cuidar de 3 crianças pequenas (você limpa aqui e elas sujam ali, guarda algo aqui, elas bagunçam acolá). Então segui as dicas deste sistema, que podem ser sintetizadas em: dividir a casa em até 5 partes (ou zonas, como o método as chama) e a cada semana desentulhar e fazer uma limpeza mais profunda de uma das partes (ou cômodos, dependendo da casa). Vou até o cômodo, listo tudo o que é necessário ser feito – ou melhor, limpo – e divido as tarefas em 5 dias. A cada dia dedico no máximo uma hora para terminar essas tarefas. Pode ser menos ou mais tempo, vai depender do tempo que cada pessoa tiver. Vale dividir tarefas com as crianças (estimule a autonomia de seus filhos). Esse sistema auxilia na criação de rotinas e construção de hábitos. Eu o adaptei para minha família e tem sido o que me ajuda a manter a casa mais limpa e organizada. Sem ele eu sinceramente já teria desanimado.

2. GTD (Getting Things Done) e Bullet Journal. São métodos diferentes, mas que eu utilizo de maneira complementar. O GTD, em suma, propõe que você anote em um caderno tudo o que precisa ser feito (planos, projetos, etc.) e direcione para uma lista específica. Aos poucos vai-se riscando o que se consegue fazer. É importante definir datas para alguns casos específicos. Já o Bullet Journal é mais parecido com uma agenda, em que você anota de forma mais geral tudo o que é preciso fazer. A idéia-chave do GTD é que você direcione sua tarefa para um local e de tempos em tempos reveja a lista e vá resolvendo o que puder. Se você definiu que certa tarefa deve ser feita na rua, antes de sair você deve olhar sua lista @Rua para se lembrar o que deve fazer e, quando o fizer, riscar da lista. Para mim tem funcionado melhor o Bullet Journal, pois anoto todas as tarefas numa mesma lista, mas a cada tarefa que deve ser realizada em um local diferente eu coloco um marcador correspondente na frente (por exemplo, seta para rua, asterisco para igreja etc.).

3. Técnica Pomodoro. Consiste basicamente em determinar o tempo de 25 minutos para fazer algo, descansar 5 minutos e depois retornar à mesma atividade ou passar para a seguinte. É ótima para usar nos estudos e no trabalho – especialmente para quem faz home office – , mas também é possível usá-la para tarefas domésticas em combinação com o método Fly Lady. Por exemplo, para limpar um quarto, faço o que posso em 25 minutos; o que não der, deixo para uma outra oportunidade. Parece estranho à primeira vista, mas para quem não tem tempo, essa técnica ajuda a manter o foco numa atividade. Os 5 minutos de pausa evitam um surto por excesso de trabalho. É interessante usar essa técnica também para acompanhar as postagens do blog Como Educar Seus Filhos ou um curso online: ler textos ou assistir vídeos por 25 minutos e descansar por 5 minutos.

Eu adaptei os métodos à minha realidade. Uso uma idéia de um, a metodologia de outro… Vale também fazer testes e ver o que melhor se adapta a sua família e a sua personalidade.

Utilize um caderno para organizar as informações. Todos esses métodos possuem aplicativos para celular ou tablet. Mas se você não tem acesso a essas tecnologias, não adie indefinidamente a organização de uma rotina: comece com um simples bloquinho de notas.

Mas tenha cuidado para não se deixar escravizar pelos métodos de organização, querendo sempre segui-los à risca e fazer tudo com perfeição todos os dias. O importante é que eles funcionem e sejam úteis.

Não se esqueça: os métodos não são fórmulas mágicas que resolverão todos os seus problemas. São apenas instrumentos de trabalho que precisam de alguém com determinação e dedicação para utilizá-los. Pesquise sobre eles, procure dicas de quem já os aplicou e adapte à sua rotina os que achar mais adequados e eficazes. Eles podem ser usados tanto por quem fica em casa como por quem trabalha fora.

Feito é melhor do que perfeito

Minha rotina é apertada e bastante corrida, principalmente porque as crianças são pequenas e ainda necessitam muito de nós. Mas conforme elas vão crescendo e conforme as vamos ensinando a ter autonomia, vamos conseguindo mais tempo para outras coisas e a rotina vai-se afrouxando.

Por ora, adotei o lema: “feito é melhor do que perfeito”, pois vi que quando buscava perfeição em tudo, acabava estagnando e não conseguia fazer nada, além de acabar frustrada. Portanto, é melhor ter um chão razoavelmente bem varrido e dar atenção às crianças do que ter um chão impecavelmente brilhante e não conseguir fazer nenhuma atividade com meus filhos. Após um dia cansativo, é melhor ler uma historinha por 10 minutos antes de as crianças dormirem do que pegar uma história enorme e desistir da leitura por desânimo.

Nossos filhos não serão pequenos para sempre. A hora de investir neles é agora!

Crie pequenas rotinas para as crianças

Isso evita estresse e ajuda as crianças a se sentirem mais seguras e a serem mais colaborativas. Crie rotinas para situações que geralmente são complicadas ou tensas. Exemplos: rotina da hora de acordar, rotina da hora do almoço, rotina para as atividades ou para a hora da leitura em voz alta, rotina para a saída de casa – esta é bem útil para mim, pois não é fácil sair de casa sozinha com os três. Quando falo em rotina aqui, refiro-me a um planejamento de uma seqüência de atos envolvidos na realização de uma atividade, uma espécie de passo-a-passo que deve ser ensinado à criança. Uma boa dica é fixar na parede um quadro com a rotina ilustrada com desenhos ou símbolos para orientar os filhos – se eles já souberem ler, as tarefas e atividades podem vir por escrito. Além disso, quando conversamos e explicamos para as crianças o que esperamos delas, as coisas tendem a ficar menos tensas também.

Exemplo de rotina da manhã: acordar, trocar de roupa, guardar o pijama, usar o banheiro, arrumar a cama e sentar à mesa para o café da manhã. Exemplo de rotina para sair de casa: esperar a mamãe na porta, quando a mamãe abrir a porta, sair e encostar na parede, andar do lado da mamãe até o carro, quando a mamãe abrir o carro, sentar em sua cadeirinha e aguardar a mamãe colocar todos os cintos. Se a criança já sabe o que fazer ou tem uma missão a cumprir, isso evita que ela se disperse e que os pais tenham de repetir exaustivamente os mesmos comandos.

Não dá para fazer tudo

É importante definir suas prioridades e conseguir encaixá-las no dia, na semana, no mês. Se não houver tempo para as coisas que não são prioridade, elas terão de sair do planejamento. Não dá para fazer tudo! Algumas coisas terão que ficar de lado, pelo menos por um tempo.

Para ter um pouco mais de tempo ao lado de nossos filhos às vezes é necessário fazer sacrifícios, abrir mão de certos confortos, deixar coisas de lado, adiar planos, recusar convites e em alguns casos trabalhar menos ou até mesmo deixar o trabalho por um tempo. Um dia nossos filhos estarão crescidos e tudo será diferente; mas teremos saudades do tempo de agora. Então, vale a pena deixar de lado algumas coisas, pois coisas podemos recuperar, mas o tempo com nossos filhos não.

Analise sua vida pessoal e familiar e veja o que realmente é importante agora, neste momento. Você terá de fazer escolhas. E escolher os filhos nunca será um erro.

Você utiliza algum método para se organizar e administrar melhor o tempo? Compartilhe conosco a sua experiência. Este artigo lhe ajudou de alguma forma? Conte-nos também.


Deixe suas dúvidas e opiniões aqui embaixo! Obrigado por compartilhar nosso conteúdo!

Receba em seu email nosso ebook “As 5 Etapas para Alfabetizar seus Filhos em Casa”, um guia completo e totalmente gratuito para introduzir seus filhos no universo da Alfabetização. Clique aqui: https://goo.gl/FDS4xU.

5 Comentários


  1. Nossa, Vanessa, amei o artigo! Me identifiquei em diversas situações mencionadas por você.
    Obrigada pelas dicas.

    Responder

  2. Amei! ♥ Já vou adaptar algumas ideias aqui em casa!!! Obrigada por compartilhar! Beijos

    Responder

  3. Deixei a rotina do trabalho em tempo integral. Dispensei a empregada doméstica. E me dedico hoje aos meus filhos e minha casa na parte da manhã e trabalho somente a tarde. Garanto que foi a melhor decisão dá minha vida. A rotina funciona super bem.

    Responder

  4. Muito útil esse artIgo.
    Vou seguir as dicas e posto aqui o resultado.

    Responder

  5. Muito bom seu artigo.
    Para muitos, talvez isso pareça fácil, até porque a maioria trabalha fora, tem filhos em creche, faz os avós de pai e mãe, e só vê os filhos para dar beijinhos e dizer que os ama.
    Mas, para quem pensa mais à frente em ter filhos crescidos e se sentindo amados, você mostrou um caminho com a sua vivência diária, e obrigada por partilhar esse belo empenho de devoção e amor.
    Muitos nem lembram que filhos são dádivas de Deus, e que precisam desse amparo físico, espiritual e humano. Não adianta deixá-los crescer para fazer isso depois, a idade é essa que os seus filhos tem, porque é agora que eles vão absorver todo amor e dedicação à eles passado.
    Belo trabalho de pesquisa, de observação, de criatividade e de eficácia. Bem se vê que você realmente coloca em prática o que descreveu, porque apesar, de três filhos pequenos, marido, e toda a rotina diária de uma casa, teve tempo de compartilhar sua experiência através de um belo trabalho.
    Parabéns…….que seja o início de muitos !!!!!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *