Por Que é Importante que seu Filho Ande (literalmente) na Linha?

Tempo de leitura: 9 minutos

Já reparou que as crianças adoram andar sobre linhas? Rachaduras na calçada, linhas pintadas no asfalto, muretas de pedra, traves de equilíbrio, uma simples corda ou uma mangueira de jardim, e até mesmo as juntas de assentamento do piso: tudo isso atrai os pezinhos dos pequenos como ímãs. E isso é ótimo, porque o esforço físico e cognitivo concentrado necessário para “andar na linha” (independentemente do sucesso da criança nessa tarefa) favorece muito o desenvolvimento da criança na primeira infância. Dentre os aspectos beneficiados, encontram-se:

  • Desenvolvimento do sistema vestibular (equilíbrio)
  • Desenvolvimento da consciência das linhas médias (movimentos e pensamento coordenados)
  • Locomoção (diferentes maneiras de mover-se do ponto A ao ponto B)
  • Coordenação óculo-pedal (coordenação entre o cérebro, os olhos e os pés para a execução de tarefas específicas)

E o meu favorito…

  • Foco e concentração (controle do corpo e do cérebro para a execução de tarefas específicas por um determinado período de tempo)

Por isso, por mais estranho que pareça, quando uma linha agradar o seu filho… deixe-o andar sobre ela!

Mas, depois que ele tiver “andado na linha” algumas vezes, o que fazer?

Dica: Se for possível, deixe seu filho fazer os exercícios descalço. Como essas atividades focam a atenção da criança em seus próprios pés, sapatos e meias dificultam uma experiência sensorial ideal.

© 2013 Foto de Gill Connell usada com permissão

1. AQUECIMENTO

O QUE FAZER

Encontre ou trace uma linha no chão, dentro ou fora de casa. Uma rachadura na calçada serve. Você também pode traçar uma linha com giz, ou esticar no chão uma tira, fita, corda ou qualquer coisa que esteja à mão. Incentive seu filho a mostrar que ele consegue caminhar sobre a linha, mantendo os pés alinhados sobre ela.

POR QUE FAZER?

Com esse simples aquecimento, seu filho começará a compreender o mecanismo de caminhar sobre uma linha. A coordenação entre corpo e cérebro possibilitará a concentração necessária para as várias atividades seguintes.

O QUE VOCÊ DEVE OBSERVAR

Observe se a criança encontrou seu centro de gravidade. Pode ser que ela erga os braços, como asas de um avião, e perca a linha no começo. Isso é normal. Criança adora desafio, e seu corpo pede novos tipos de movimento. Fazer um movimento preciso não é o mais importante, mas sim tentar.

Observe se seus olhos estão focados. Algumas crianças vão prestar mais atenção aos próprios pés durante o exercício, enquanto outras se concentrarão mais na linha diante delas. Isso é indiferente nessas atividades.

Observe também a velocidade de execução. Muitas crianças podem ir rápido no começo. Se isso acontecer com seu filho, incentive-o a ir mais devagar, propondo um jogo… “Ótimo, você foi bem rápido! Mas será que você consegue andar sobre a linha bem devagarzinho?”

Quando a criança tiver feito isso algumas vezes, tente novas maneiras de andar sobre a linha. Lembre-se de, a cada vez, propor uma espécie de desafio e exemplificar. Pode ser que você se surpreenda com as idéias que ela mesma terá! Aqui vão algumas sugestões para ajudá-lo no começo…

  • Caminhe com as pernas abertas em torno da linha, tentando não tocá-la
  • Caminhe de costas sobre a linha
  • Pule sobre a linha
  • Caminhe de lado para a direita, depois para a esquerda
  • Ajude seu filho a traçar uma linha cheia de curvas sobre a qual possa caminhar
  • Ajude seu filho a traçar uma linha com curvas acentuadas sobre a qual possa caminhar
© 2013 Foto de Gill Connell usada com permissão

2. CAMINHANDO EM “V”

O QUE FAZER

Trace duas linhas formando um “V”, começando do ponto mais estreito e abrindo progressivamente.

Demonstre ao seu filho como se faz. Mostre-lhe como caminhar sobre as duas linhas ao mesmo tempo. A cada passo, os pés se distanciam um pouco mais. Vire-se e volte, desta vez com os pés se aproximando a cada passo.

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: COMO AJUDAR SEU FILHO

No começo, essa atividade pode ser difícil para seu filho e talvez ele precise de sua ajuda. Instintivamente, talvez você tente ajudá-lo segurando-lhe uma das mãos, mas isso pode acabar desestabilizando-o ainda mais, reforçando um dos lados em prejuízo do outro. Em vez disso, fique atrás dele e segure-o pela camiseta. Isso servirá de apoio para ele, sem interromper seus esforços independentes em busca do equilíbrio. Se isso não bastar, fique na frente da criança e estenda seu braço para que ela o segure, como se fosse uma barra. Novamente, isso servirá de apoio para ela, sem que você instintivamente compense a falta de equilíbrio.

POR QUE FAZER?
  1. Equilíbrio. A cada passo, a Caminhada em “V” põe à prova o equilíbrio e a estabilidade de seu filho, exigindo que ele continuamente ajuste seu centro de gravidade.
  2. Conceitos matemáticos iniciais. Crianças pequenas precisam de experiências corporais com conceitos abstratos a fim de torná-los reais e compreensíveis. A Caminhada em “V”, por mais simples que pareça, é na verdade uma experiência que demonstra os conceitos de mais (>) e menos (<), como os próprios símbolos matemáticos indicam. Conforme os pés da criança se afastam um do outro (ou se aproximam), ela estará sentindo fisicamente a diferença. Ajuda bastante se você narrar a atividade, utilizando uma linguagem que descreva os conceitos de “mais” e “menos”, por exemplo: “Você consegue afastar as pernas um pouco MAIS?”, “Olhe como você precisa abrir bem MENOS as pernas agora”. Repita as palavras várias vezes enquanto seu filho enfrenta o desafio da Caminhada em “V”, ajudando-o assim a associar, em sua memória, a linguagem com a experiência.
  3. Foco e concentração. Movimentar os pés desse modo inusitado desafia o corpo e o cérebro a trabalhar juntos durante o exercício, a fim de que a criança permaneça “na linha”.
O QUE VOCÊ DEVE OBSERVAR

Observe o progresso de seu filho. Conforme ele progride no exercício da caminhada em “V”, aumente a dificuldade, pedindo-lhe que segure um objeto nas mãos enquanto caminha. Isso criará uma nova dinâmica, desafiando o cérebro e o corpo a fazer duas coisas ao mesmo tempo. Comece segurando o objeto com ambas as mãos, depois alterne, ora segurando o objeto com a mão direita, ora com a esquerda. Com isso, o nível de complexidade aumentará, e o centro de gravidade sofrerá uma pequena alteração, desafiando a criança a reajustar o equilíbrio.

E, é claro, quando ela já estiver craque, tente fazer tudo isso andando para trás!

© 2013 Foto de Gill Connell usada com permissão

3. CROCODILO NA ÁGUA!

O QUE FAZER

Trace duas linhas paralelas (ou utilize uma corda, um fio, um barbante ou uma fita). A distância entre elas deve possibilitar que a criança “caminhe” sobre uma das linhas com os pés e, sobre a outra, com as mãos. Ajude seu filho a desenhar um crocodilo velho e sonolento no centro.

A HISTÓRIA

O crocodilo Rock passa o dia todo dormindo no rio. Mas, quando está acordado, ele adora fazer cócegas nos dedos das mãos e dos pés! A única forma de escapar do crocodilo Rock é permanecendo nas margens do rio (nas linhas). Você consegue descer o rio sem acordar o crocodilo Rock?

POR QUE FAZER?

Esse jogo é desafiador e divertido.

  1. Força e equilíbrio.

Manter a posição “de quatro” propicia ao corpo e ao cérebro uma nova sensação de equilíbrio, ao mesmo tempo em que trabalha a força muscular.

  1. Desenvolvimento da consciência das linhas médias.

Fazer uma coisa com a metade superior do corpo e outra com a metade inferior auxilia no desenvolvimento integral da coordenação corporal.

  1. Foco e concentração.

Criar uma historinha em torno da atividade muda o foco para a “missão” e acrescenta um incentivo para a realização da tarefa.

O QUE VOCÊ DEVE OBSERVAR

Primeiro, observe se seu filho consegue manter a posição por alguns segundos. Se ele tiver dificuldade, pode iniciar o exercício apoiando-se sobre as mãos e os joelhos.

Execute a atividade em ambas as direções, descendo e subindo a margem do rio.

As crianças atingem o objetivo do exercício de maneiras bastante variadas. Observe como seu filho irá administrar o próprio corpo. Por exemplo, no movimento da direita para a esquerda, pode ser que ele mova:

  • Mão direita/Pé direito, depois Mão esquerda/Pé esquerdo
  • Mão direita/Mão esquerda, depois Pé direito/Pé esquerdo
  • As duas mãos ao mesmo tempo, depois os dois pés ao mesmo tempo
  • Vários “passos” seguidos com as mãos, depois vários “passos” seguidos com os pés
  • E assim por diante

É indiferente a maneira como seu filho escolhe executar o exercício. Mas, quando ele tiver conseguido ultrapassar várias vezes Rock, o crocodilo, sugira que ele faça de outra forma.

Divirta-se! E lembre-se: as linhas proporcionam às crianças em idade pré-escolar um verdadeiro playground de diversões – livre, rápido, divertido e desafiador. Dê ao seu filho a oportunidade de “andar na linha” da forma como ele quiser!

© 2013 Foto de Gill Connell usada com permissão

Artigo de Gill Connell e Cheryl Mccarthy traduzido do inglês com permissão de Moving Smart

Adaptado para o uso domiciliar a partir do “Moving Smart Smart Steps Preschool Playground Program”.


Deixe suas dúvidas e opiniões aqui embaixo! Obrigado por compartilhar nosso conteúdo!

Receba em seu email nosso ebook “As 5 Etapas para Alfabetizar seus Filhos em Casa”, um guia completo e totalmente gratuito para introduzir seus filhos no universo da Alfabetização. Clique aqui: https://goo.gl/FDS4xU.

1 Comentário


  1. Extraordinário, muito simples e fácil de aplicar além de prometer muita diversão, uma ótima alternativa para passar tempo de qualidade com as crianças, brincadeira e desenvolvimento de mãos dadas.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *