O PIOR Método de Alfabetização que Existe

Tempo de leitura: 4 minutos

No vídeo de hoje eu ensino a reconhecer o PIOR método de alfabetização que existe. As consequências de adotar tal método são tão nefastas que alguns países chegaram a proibi-lo. No Brasil ele é adotado pela maioria das escolas. Saber reconhecer esse método é fundamental. Assista!

A dica de hoje está relacionada a um trecho do ebookAs 5 Etapas para Alfabetizar seus Filhos em Casa”, no qual eu apresento os métodos mais ineficazes de leitura. Há um que é o mais ineficaz de todos, você deve evitá-lo e, se o seu filho estuda numa escola que o adota, abra seus olhos, pois as conseqüências serão terríveis. Eu falo do método global.

O método global de ensino de leitura é comprovadamente ineficaz. Uma série de experimentos científicos comprova a ineficiência desse método, e há países que proíbem a sua utilização por ser extremamente prejudicial. Por que prejudicial? Porque ele ativa regiões do nosso cérebro que não são responsáveis pela leitura. Como são informações técnicas, não tenho como transmiti-las aqui, mas sempre as abordo nos cursos. Minha intenção aqui não é esgotar o tema, mas dar a você dicas práticas para evitar tal método.

Vou começar apresentando uma estratégia empregada pelos defensores do método global: o emparelhamento de imagens e palavras. Como funciona? Você mostra uma imagem para a criança e nomeia a imagem. Por exemplo: você mostra um cartão com a imagem de um pato e pergunta o que é. A criança responde: “Pato”. Então, mostra-se a palavra pato e associa-se a palavra à sua pronúncia. Depois você mostra novamente a imagem e a palavra e a criança pronuncia novamente “pato”. Pronto, concluem, a criança aprendeu a palavra “pato”, já está lendo. Trata-se de uma falsa impressão, nós não temos leitura propriamente, e sim o reconhecimento da forma global da palavra e uma recordação da associação da pronúncia com a palavra. Isso não é leitura. A criança lê a palavra a partir de um reconhecimento global da palavra, mediante as mesmas estratégias de que ela dispõe para reconhecer a face de uma pessoa, um objeto, uma forma geométrica, por exemplo. Isso é absurdo.

Você poderia dizer: “Mas, professor, no fim das contas ela lê a palavra ‘pato’. Então, ela atingiu o objetivo”. Bom, então faça o seguinte: apresente a seguir a mesma palavra utilizando outras formas de letras. Você perceberá que a criança vai se confundir. Troque uma letra da palavra “pato” e escreva “pata”. A tendência é que a criança diga “pato”, pois ela percebe a imagem global da palavra.

Quais são as conseqüências da adoção do método global? No começo a criança é capaz de memorizar várias palavras. São dadas a elas listas de palavras e faz-se o emparelhamento, então no primeiro dia a criança memoriza 30 ou 40 palavras. Parece fantástico. Mas a longo prazo as crianças esquecem o que memorizaram de início e não conseguem memorizar novas palavras. Já os alunos que estão aprendendo as regras de decodificação, lenta e gradativamente, adquirem as habilidades necessárias para decodificar qualquer palavra. Além disso há outro problema: se de início elas são capazes de reconhecer a palavra e saltam do aspecto visual para o aspecto semântico, mais adiante elas começam a ter uma queda de rendimento. O método global cria uma falsa impressão de rendimento. Pesquise no YouTube “método Glenn Doman de alfabetização”. Glenn Doman é um autor que defende esse método, e muitos pais ficam encantados com a metodologia. Há vários vídeos de crianças e bebês reconhecendo palavras, mas é uma falsa impressão de que as crianças estão realmente lendo. Não caiam nessa cilada!


Faça o download da versão em áudio e ouça essa dica quando quiser!

Assine nosso podcast no iTunes e receba gratuitamente nossos conteúdos em áudio. Assine em seu computador pelo link bit.ly/cesf-podcast. Siga-nos e deixe um review!


Participe da Jornada da Alfabetização em Casa. Cadastre-se e faça parte desse evento online e gratuito que já transformou a vida de mais de 100.000 famílias!

Deixe suas dúvidas e opiniões aqui embaixo! Obrigado por compartilhar nosso conteúdo!

22 Comentários


  1. Eu tenho hoje 71 anos. Em 1954 tentaram me alfabetizar no grupo escolar com o método global. Não deu certo eu não aprendia. Minha mãe resolveu me alfabetizar em casa pelo método silábico. Dou eternamente grata ela pela intervenção tão inteligente.

    Responder

  2. Prof. Carlos,
    Minha filha está no 4° ano do fundamental e foi albetizada pelo método global. Como podemos corrigir esse problema? Hoje em dia ela pulva minha e troca palavras quando está lendo.

    Responder

  3. Olá, como li em uma resposta falando sobre o método kumon, gostaria de saber se aprova esse método p/ alfabetização.

    Responder

    1. Achei esta pergunta importante. Tenho um filho de 5 anos que está neste curso. Ele ainda não sabe ler. Estamos pensando em retirar ele e ensiná-lo em casa junto com o auxilio do colégio. Confio na alfabetização pelo método do prof. Carlos Nadalim. Acho mais humano.

      Responder

  4. É REALMENTE O INFELIZMENTE NA MINHA OPINIÃO ISSO SE CHAMA QUERER MOSTRAR SERVIÇO DA MANEIRA MAIS FÁCIL, MAS COM RESULTADOS NEGATIVOS, EU PUDE OBSERVAR O MEU FILHO FAZENDO ISSO, HÁ NOVOS MESTRES QUE ESTÃO SURGINDO NO ENSINO PÚBLICO, NÃO ESTOU GENERALIZANDO QUE SÃO TODOS MAS UMA PARTE DELES HOJE TEM APLICADO E MUITO ESSE SISTEMA GLOBAL POIS PARA ELES É MAIS FÁCIL DAR DESENHOS E FAZER ASSOCIAÇÕES DE IMAGENS DO QUE REALMENTE ENSINAR A OBSERVAREM AS LETRAS E AS JUNÇÕES DAS MESMAS PARA DEPOIS APRENDEREM A LER
    ISSO PRA MIM SE CHAMA PREGUIÇA DO ENSINO. POR ISSO QUE EU TENHO QUE MANDA LOS PARA ESCOLA E DEPOIS DAR AULA NOVAMENTE PARA ELES

    Responder

  5. Olá professor Carlos já tenho 19 anos de educadora mais há 4 estou na turminha de alfabetização e percebo que realmente essa questão de um método correto para se alfabetizar é muito relativo , no colégio onde trabalho temos aplicado o letramento e tem obtido um grande resultado em relação à leitura e escrita.Qual o seu parecer sobre este método?

    Responder

  6. meus netos na idade de 10 e 9 e 8 anos tem muita dificuldades no aprendizado quando aprende não conseguem memorizar acredito que os métodos estão inclusos nestas características . como faço para alfabetiza-los estou perdida de que ponto posso começar com eles

    Gostei muito do método sei que estamos no caminho, mas no caso deles eu to perdida .

    Responder
    1. Pamela Arumaa

      Olá, Maria Luciene.

      Certamente estas dificuldades advém de um processo falho de alfabetização. Temos muitos pais que adquirem o nosso curso com este fim, re-alfabetizar seus filhos. É necessário começar do zero a aplicação do curso identificando falhas e corrigindo-as. É um trabalho árduo, mas extremamente necessário e possível.

      Sugiro que você entre para lista de espera, para receber informações sobre as próximas turmas: http://www.comoeducarseusfilhos.com.br/espera

      Abraço!
      Pâmela Arumaa – Suporte

      Responder

  7. Olá professor Carlos,
    Estou adorando ver seus vídeos e ansiosa pelo curso. Parabéns!
    Meu filho de 4 anos e 8 meses estuda em uma escola bilingüe desde os 2 anos que diz usar um método fônico para alfabetização, mas me sinto muito perdida no método deles, acho sinceramente que eles misturam vários métodos e ele no próximo ano irá para uma escola tradicional (Marista). Como eu estava muito preocupada coloquei ele no kumon e agora vejo que ele está usando o método global, tive excelentes referências do kumon de vários pais e ex-alunos. Estou muito confusa e perdida, se você puder me orientar.
    Ps: estou há um mês e meio ensinando ele em casa e ele já lê várias palavras e até frases mas ainda não as compreende completamente , somente Pós a releitura com meu auxílio. Aguardo ansiosamente pelo seu curso para poder orientar melhor meu pequeno e para começar a estimular melhor o menor de 2 anos.
    Muito obrigada
    Adriana Lima

    Responder
    1. Pamela Arumaa

      Olá, Adriana.

      Sim, o Kumon usa o método global. Já o ensino de matemática é excelente, recomendamos.

      Esperamos por você! 🙂

      Abraço!
      Pâmela Arumaa – Suporte

      Responder

  8. Professor,
    Fiquei muito preocupada com sua colocação no video. Aparentemente, você abomina essa estratégia e ignora,por exemplo, o pensar da criança sobre o sistema de escrita e as relações que ela é capaz de fazer.
    Longe de mim reforçar que o tal método global é eficiente, para mim, método algum é eficiente porque eles já pressupõem etapas fixas e, logicamente, que todos aprendem da mesma maneira, o que não é real.
    Gostaria de dizer somente, que essas palavras memorizadas por meio dessa estratégia são importantes SIM para o professor propor relações em outros contextos. Quando você pede para a criança escrever um texto de memória, uma parlenda em que apareça a palavra PACA, e a criança pergunta como se escreve PACA. Você pode lembrá-la da palavra que ela tem memorizada para que ela estabeleça a relação e, gradualmente, esses conhecimentos vão se interrelacionando. Ela vai perceber que o PA do PATO, é o mesmo PA do PACA, da PAPA, da PARLENDA e por aí vai.
    Devo concordar que fechar o aprendizado da leitura só nessa estratégia realmente é limitar toda a potencialidade da criança. Quanto mais experiências ela tiver de produção escrita e leitura (ainda que não convencionalmente), mais desafios serão lançados para ela e sua aprendizagem sobre o sistema de escrita será muito mais significativo.
    Obrigada pela atenção.

    Responder

  9. Nossa! Minha filha estava matriculada no Kumon e eu estava gostando muito, mas eles aplicam justamente os dois métodos citados pelo Professor Nadalim, o global e o silábico… Mudei-a de escola, porque não gostava do método de alfabetização da escola anterior e como gostei da escola nova, refizemos a matricula dela no Kumon para estudar matemática, mas agora estou sinceramente preocupada…

    Responder

    1. Meus filhos fazem Kumon, e, sinceramente, não vejo problema nisso. Meu mais velho hoje tem 8 anos e é um leitor voraz de livros, gibis e revistas. Sua leitura é perfeita, e a interpretação de texto surpreendente. Não tenho conhecimento suficiente para condenar qualquer tipo de método de alfabetização, no entanto, vi na prática que o Kumon não foi, de forma alguma, prejudicial, muito pelo contrário! Enfim, não acredito que exista um método que seja unanimidade, por isso os pais devem ficar atentos e ver como está a adaptação da criança ao método, e se necessário, trocar o método.

      Responder

      1. Olá, menciono está no 1 fundamental e ainda não está sendo alfabetizado, ele está louco para ler e escrever logo. Quero muito colocá-lo no kumon. Queria sua opinião. Obrigada

        Responder
        1. Pamela Arumaa

          Olá, Danielle.

          O Kumon utiliza o método global na fase de alfabetização, infelizmente. Sendo assim, o professor recomenda somente após a criança já estar alfabetizada. Já o ensino de matemática deles é muito bom.

          Abraços!

          Responder
    1. Arno Alcântara

      Olá, Alexandre! Um e-mail foi enviado para sua caixa para confirmar o seu endereço. Abra o e-mail e clique no link de confirmação. Esse e-mail pode estar na caixa de SPAM. Se não der certo, escreva para [email protected] Abs!

      Responder

  10. Olá Carlos,
    Quando você diz no vídeo que há inúmeros artigos que comprovam a ineficácia do método global, é importante você citar ao menos os mais importantes. Ao dizer que alguns países até proíbem o uso, cite os países também, pois se você me disser que a Coreia do Norte proíbe o uso do método global, isso não dá a menor credibilidade à informação.

    Responder

  11. Olá, professor Carlos! Estou grávida e, juntamente com meu esposo, pretendo educar meu filho em casa. Agradeço muito pela sua disposição em ajudar a tantas famílias neste assunto tão obscuro para nós leigos, que é o ensino da alfabetização. Que Nossa Senhora, Mãe da Divina Providência, esteja sempre abençoando sua família e te dando as graças necessárias ao cumprimento de seu trabalho. Salve Maria!

    Responder

  12. Oi amigos, tenho mais algumas dúvidas… Começando a assistir os vídeos do Carlos, brotou a curiosidade de pesquisar na minha cidade os métodos de ensino, adotados pelas escolas, principalmente na alfabetização, pois no ano que vem minha filha “talvez” frequentará uma escola ou faremos o ensino domiciliar …
    O método sócio-construtivista é um método ineficaz? Também tem método natural, e algumas escolas que dizem trabalhar através de projetos??? Por favor queria informações sobre esses métodos? Desde já agradeço!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *